6.12.10

Lembro-me...

... de em pequenina ficar um bocadinho triste quando via presentes muito grandes para mim (que eu associava de imediato a um preço proporcional ao tamanho) e pensar que as pessoas gastavam muito dinheiro comigo. Nunca fui miúda de pedir mil e uma coisas, e na verdade sempre me senti mal por pedir dinheiro aos meus pais para as minhas coisas.

Enfim, sempre tive uma relação muito estranha com o dinheiro...

4 comentários:

Nokas* disse...

Eu nunca fui miúda de pedir coisas aos meus pais em exagero como hoje acontece com as crianças. Eu pedia sempre uma boneca. E qualquer uma era bem vinda. Com o tempo fui deixando de pedir e o que vier é sempre bem vindo, há coisas que eles sabem que eu gostava de ter mas se não vier, não fico chateada por isso!

Inês Robalo disse...

Eu também nunca fui de pedir grandes prendas! As barbies que na altura era a loucura não me diziam nada, sempre achei mais piadas as carrinhos do meu irmão e aos pinypons!! :D

Beijinhos

Look by me disse...

Parece que a criançada de agora anda mal habituada.bj

loua disse...

Olá. Revime nas tuas palavras. Não sei porquê mas sou despreendida do dinheiro e dos bens materiais e não me considero ambiciosa como a generalidade das pessoas, que querem o emprego X, o carro Y, as roupas da marca W, enfim, vai-se a ver conseguem tudo isso e são infelizes, antes pobre mas feliz. Olho ao meu redor e vejo uma sociedade materialista e despreendida de sentimentos. A minha prenda preferida de Natal e aniversário sempre foi ter ao pé de mim quem eu amo. É por isso que no Natal fico sempre um pouco triste pois lembro com saudade quem já não tenho. Mas depois alegro-me pois lembro-me que devemos celebrar o nascimento no menino Jesus com alegria, pois é isso que ele quer, que sejamos felizes e com um constante sorriso.
Bjs.