20.6.11

Tenho, até hoje, dois acontecimentos na minha vida que me fizeram realmente perceber quem eram os meus amigos.

O primeiro, fez-me perceber aqueles que estariam comigo num momento muito mau. Neste sentido foi bom, deu para perceber quem aparecia primeiro com o único objectivo de se afirmar (?) mas com o passar da novidade acabava por se afastar, e quem realmente continuava, mesmo que mais discretamente, e nunca me deixou só.

O segundo acontecimento foi muito feliz, e fez-me perceber aqueles que, dentro dos que me tinham ajudado nos momentos maus (e continuavam a meu lado), também ficavam felizes com a minha felicidade. Pois que, na minha inocência, nunca tinha pensado como um acontecimento feliz pode também afastar as pessoas. Mas, e como é a experiência que nos ensina estas coisas, percebi que pode afastar até mais pessoas do que um acontecimento negativo.

Tenho para mim que as pessoas gostam de ver os outros em situações más ou pelos menos piores que as delas. É triste?, é. Mas acho que é verdade. Não sei se porque se sentem melhor, porque se sentem, pelo menos, não tão mal. 'Há quem esteja pior'. A felicidade incomoda um pouco mais. É mais chata de aturar, causa mais inveja. A pessoa não tira aquele sorriso, e parece que a vida lhe corre de feição. Mas isto é uma pequena teoria, não é o assunto essencial do post em questão.

Pois que, com esse acontecimento feliz, lá se foram mais uns quantos.

E eu não fico triste com isso. Gosto de saber quem são os meus amigos, com quem posso mesmo contar. Não gosto de andar enganada nem iludida. E quanto mais cedo se fizer esta 'selecção', melhor. Pena que por vezes as circunstâncias da vida não permitam ver isso tão cedo como gostaríamos.

2 comentários:

di disse...

É "triste" mas é uma realidade cada vez mais presente.

Bimba!! disse...

Enviei-lhe um email! ou envie para mim anasoares9337@hotmail.com

****