30.4.14

Últimas compras #50

As últimas compras resumem-se a livros.


Aqui há uns tempos comprei O Perfume: história de um assassino, de Patrick Süskind, que constava da minha wishlist há muito muito tempo. Comprei-o em segunda mão a um preço bem agradável e estou desejosa de o ler.


Em relação à promoção que encontrei no Continente e de que vos falei aqui, Mistérios de Lisboa, de Camilo Castelo Branco e A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós foram os livros que vieram comigo para casa.

Serum de Corpo Protector - Serum7 [Boots Laboratories]

Lembram-se do sérum que a Boots Laboratories me enviou e vos mostrei aqui?

Pois venho finalmente partilhar com vocês a minha opinião.




Antes de mais convem esclarecer que a gama Serum7 se destina sobretudo a melhorar os primeiros sinais de envelhecimento. Este produto que me enviaram é o produto de cuidado para o corpo desta linha e promete principalmente ajudar a proteger a superfície da pele do corpo, melhorar a sua textura e torná-la mais firme e suave em apenas 28 dias.

Em relação à sua eficácia no que a isto diz respeito não vos consigo ajudar, uma vez que ainda não notei na minha pele nenhum destes primeiros sinais de envelhecimento...


Mas, quanto ao sérum propriamente dito, posso-vos dizer que a sua textura foi, sem dúvida, um dos pontos de que mais gostei: bastante fluída e leve, muito fácil de aplicar e espalhar e de rápida absorção. Contribui sem dúvida para uma agradável sensação no momento da utilização deste produto.




A sua rápida absorção ajuda sobretudo nos dias em que a preguiça bate à porta e a vontade de colocar hidratante corporal e esperar que seque é pouca ou mesmo nula. Não diria que tem um poder hidratante fantástico, muito menos o aconselharia para peles muito secas, mas para quem tem uma pele dita normal, sem grandes necessidades de hidratação, poderá sem grandes dramas fazer a vez do dito hidratante. Digo-vos isto precisamente pela minha experiência e pela utilização que tenho feito dele: utilizo-o depois do banho, em vez do hidratante corporal, excepção feita aos dias em que noto a minha pele mais seca ou me apetece algo mais poderoso.
Voltando à questão da sua textura, há que mencionar o revés da medalha: o facto de ser tão fluída contribui também para que o produto se gaste com maior rapidez e, como a fotografia comprova, ao fim de relativamente pouco tempo de utilização o produto já ia a meio.


No que toca ao cheiro deste sérum não o adoro de paixão no momento da aplicação. Ainda assim é um aroma que, apesar de ser delicado, permanece na pele durante bastante tempo e é suficientemente suave para que se torne agradável ao longo do dia, sem entrar em conflito com outros cheiros que possamos utilizar. Aliás, gosto muito mais do seu cheiro na minha pele ao fim de um tempo do que no momento em que o aplico.

Em jeito de resumo, apesar de ter gostado deste produto não posso dizer que fiquei fã absoluta uma vez que não consegui comprovar aquilo que seriam as suas características essenciais.

29.4.14


Parece que, passados quase 7 meses, conseguiram finalmente resolver o problema.

Parece...

Aguardemos.

Acabado de chegar #38

Um prémio ganho num sorteio do blog da Ana na Suécia: esta caixa cheia de coisas boas.




 A saber: um batom (o nº 161) e um duo de sombras da Maybelline; uma manteiga corporal de côco e um sabonete de Noz do Brasil da The Body Shop; um corrector anti-manchas da Garnier; e o Mythic Oil da L'Oréal Professionnel.


  Para além de um sem número de amostras de diversas marcas.

28.4.14

Vamos lá lembrar disto mais vezes!


O livro que estou a ler #36 [Terminado]


Antes de mais tenho que dizer que adoro esta capa! Mesmo. Em relação ao livro, a história não se apresentou propriamente como uma novidade uma vez que já tinha visto o filme - que by the way me tinha surpreendido positivamente! Gostei bastante de ler este livro e gostei ainda mais do Charlie do que havia gostado quando vi o filme. Adorei acompanhar o seu dia-a-dia, as suas experiências, saber o seu ponto de vista em relação ao que se ia passando na sua vida e à sua volta, ir conhecendo, através dele, as pessoas com quem se ia relacionando... Acho muito interessante a forma como o livro é escrito, como se o Charlie escrevesse estas cartas para nos enviar, como se ele estivesse a falar directamente connosco. Ainda nos envolve mais na leitura e na vida das personagens. Quase como se se tratasse de um rapaz que realmente existe, que vive algures por aí e que apenas conhecemos através deste meio de comunicação.

Como tinha dito quando iniciei esta leitura, optei por ler o livro em inglês - até porque, segundo percebi, este livro não chegou a ser traduzido para português de Portugal, existindo apenas a edição em português do Brasil. Ainda assim a minha escolha foi também no sentido de cumprir uma das minhas resoluções para este ano, que é ler mais livros em inglês. Achei uma leitura bastante fácil. Recorri ao dicionário pouquíssimas vezes, e quando o fiz foi mais por uma questão de saber o verdadeiro significado daquela palavra, uma vez que, inserido no contexto, era facilmente compreensível o que estava a ser escrito. Aconselho portanto este livro e acho uma óptima opção para quem quer começar também a ler mais coisas em inglês.

25.4.14

Para não deixar a data em branco...


... e relembrar que o 25 de Abril não é mesmo propriedade de ninguém.

Não sei se é geral... mas fica a dica!

Deparei-me, no Continente, com uma banca com alguns livros de bolso a 1€. Obviamente não consegui ficar indiferente... e dois acabaram por vir comigo para casa. Depois mostro! Não sei se é uma promoção comum a todas as lojas nem até quando durará, mas fica a dica.

O livro que estou a ler #38

23.4.14

Dia Mundial do Livro


Diz que é hoje... portanto um excelente dia para todos os amantes de livros!!

O que andam a ler por aí?

O livro que estou a ler #37 [Terminado]


Terminei o livro com alguma desilusão. Não foi o que esperava, admito. Li este livro bastante rápido, mais ou menos em três noites, mas também há que ter em conta que tem pouco mais de 200 páginas. E não achei a história brilhante. Não me envolvi por aí além. Não senti aquela curiosidade em saber o que se vai passar a seguir, porque desde cedo percebemos qual será o desfecho da história, apesar de não conhecermos exactamente todos os seus pormenores. Não achei que estivesse nem perto de ser aterrorizante. Apesar disto, houve alguns pontos que me agradaram particularmente: gostei muito da abordagem em relação ao fanatismo religioso, ao bullying e gostei do final.

Só depois de terminar a leitura é que percebi que este livro foi o primeiro do autor, tendo sido escrito em 1974. Portanto, e apesar de não me ter agradado particularmente, não desisti deste autor. Parece-me até que comecei pelo livro certo... poderei agora espero! ver o progresso de Stephen King, que é aliás considerado um dos mestres do horror.

P.S. - Sei que há algumas adaptações desta história, nomeadamente dois filmes. Tinha alguma vontade de os ver, mas admito que depois de ler o livro diminuiu um bocadinho... Ainda assim continuam na minha lista e talvez os veja, só por curiosidade de os comparar com o livro. Alguém já viu?

22.4.14

Filmes #100


What Maisie Knew - O Que a Maisie Sabe


Na semana passada fomos à antestreia deste filme. Já tinha ouvido falar dele e já na altura me tinha chamado a atenção. O nome do filme, o cartaz, o trailer... tudo me deixou curiosa e cheiinha de vontade de o ver. E a verdade é que gostei mesmo muito. Mesmo, mesmo, mesmo. Este filme é baseado num romance de Henry James publicado em 1897, mas que é aqui transportado para os dias de hoje. Trata de um tema tão presente que é o divórcio e a questão da guarda dos filhos, neste caso da filha, a pequena Maisie. É fácil identificarmo-nos com o filme, quanto mais não seja por conhecermos alguém que já passou por algo semelhante ou por já termos ouvido alguma história deste género. Mas o facto de estarmos ali, praticamente dentro da situação, a assistirmos a tudo e, ainda mais importante, a sermos colocados no papel desta criança... é um autêntico murro no estômago. É duro, é revolvante. É acima de tudo um confronto com alguns dos piores defeitos de um ser humano: o egoísmo, o cinismo, a hipocrisia. É um filme que realmente aconselho, que vale muito a pena ver. Além de tudo isto fiquei rendida à menina que interpreta o papel de Maisie!

21.4.14

18.4.14

Então e séries? #1

Por aqui continuo a acompanhar a Person of Interest...


... mas uma vez que já lhe apanhei o ritmo e tenho que esperar uma semana por cada episódio, comecei também com Breaking Bad e estou agora na segunda temporada.


E por aí?

17.4.14


Li este ano, pela primeira vez, um livro de Gabriel García Márquez e fiquei ainda mais curiosa em ler outros livros dele que já tinha na minha lista. Foi com grande tristeza que soube, hoje, da sua morte... Sei que a sua obra fica, que pessoalmente ainda tenho tanto dele para ler, mas custa sempre ver alguém assim partir. Que descanse em paz.

Ter crianças em casa é... #26

Relembrar como se escreve em letra manuscrita...

16.4.14

O livro que estou a ler #37



É o primeiro livro que leio deste que é um dos autores que mais curiosidade me desperta e que mais vontade tenho de ler!

Filmes #99


Obsessed - Obsessão


Já tinha apanhado este filme na televisão algumas vezes, mas nunca de início. Já tinha, portanto, visto uma ou outra cena, tinha uma ideia do que se tratava, mas nunca o tinha visto de uma ponta à outra. No outro dia decidi fazê-lo. E sinceramente fiquei desiludida. A melhor palavra para descrever este filme é provavelmente "perturbador" e, para descrever a personagem interpretada por Ali Larter, só me ocorre "irritantemente doentia". Lido assim até poderia parecer que o descrevo num bom sentido, mas não. Há alguns pormenores que me parecem pouco credíveis e não fiquei maravilhada com as interpretações... É um filme que entretem, mas não aconselho particularmente.

Weekend


Tinha este filme na lista para ver há bastante tempo e, mais uma vez, admito que o tinha adicionado pela capa. Não fazia ideia de que tratava, mas acabei por gostar. Muito sucintamente, conta-nos a história de Russell que, após uma noite com os seus amigos, decide passar num bar gay onde conhece Glen. O que seria apenas um caso de uma noite acaba por se transformar em algo mais, surgindo uma química muito especial entre eles.

15.4.14

E o escolhido da semana é... #121


... 19 Fred Said Red, da Catrice.

Era mesmo mesmo esta a cor que me apetecia usar.É um vermelho ainda mais aberto do que aparenta na fotografia. Precisou de apenas uma camada para ficar com esta cor.

14.4.14

Ter crianças em casa é... #25

Estar a ver o Benfica e a falar com a televisão a reclamar com eles.
Ela olha para mim, meio de lado, com o ar mais "estás-maluca-ou-quê-?" e pergunta:

- Estás a falar com quem...?

...

Filmes #98


Inglourious Basterds - Sacanas Sem Lei


No outro dia estive a rever este que é um dos meus filmes favoritos de sempre. Não gosto de ver filmes que já vi anteriormente, mas este faz parte do reduzido número de excepções a essa regra. Um dos favoritos dos favoritos. Acredito que já o viram. Mas, se por acaso, falharam este filme, vejam-no. Mesmo!  Vale muito a pena. Pela história. Pelas personagens. Pelas maravilhosas interpretações. Pelo inconfundível toque do Tarantino. Por tudo. Deixo, como extra, uma das minhas cenas favoritas do filme e, certamente, uma das mais hilariante de todas. Portanto, se ainda não viram o filme e pretendem ver... não vejam este vídeo aqui em baixo.

11.4.14

O livro que estou a ler #35 [Terminado]


Quando comecei a leitura deste livro não sabia bem ao que ia e, sinceramente, procurei não saber, porque me apetecia ir assim, à descoberta. As expectativas também não estavam muito elevadas; tinha sido apenas um livro que me havia cativado pelo título, pela capa e pelo facto de ser de um autor português. E acho que foi isto mesmo que me permitiu retirar maior prazer desta leitura. A escrita do autor é cativante, espontânea, de fácil leitura. O livro tem pouco mais de 200 páginas, com uma letra relativamente grande e capítulos curtos, o que contribui para uma rápida leitura. O livro vai-nos contando, através de alguns episódios, a história de três gerações de uma família. Porém, isto não é feito de um modo linear, seguindo uma ordem cronológica, mas sim avançando e recuando no tempo, dependendo da personagem a que se refere. Um dos pontos positivos da escrita deste autor é, a meu ver, precisamente o facto de conseguir fazer isto de um modo claro, sem confundir quem lê o livro. Não é, certamente, uma novidade no mundo literário mas, ainda assim, reconheço-lhe o mérito. De algum modo, ao longo do livro, vamos conseguindo interligar alguns episódios e encaixar algumas peças. No entanto, no final, há muitas pontas que ficam soltas... E isso foi algo que me deixou um bocadinho confusa, quando terminei. Por momentos pensei se me teria escapado alguma coisa, se seria melhor reler o livro para apanhar alguns pormenores a que não tivesse prestado a devida atenção. Depois pus a hipótese de, eventualmente, este final em aberto sugerir uma continuação, um segundo livro. Mas entretanto ocorreu-me que também não deixaria de fazer sentido que o autor terminasse a história assim. Claro que gosto dos livros em que todas as peças encaixam, em que no final o autor nos mostra a explicação de tudo, em que tudo faz sentido... mas por que não deixar parte da história à nossa consideração? Por que não assumir que, como na vida, nem sempre acabamos por descobrir tudo? Se já leram partilhem a vossa opinião sobre o livro :)

10.4.14

O livro que estou a ler #36



Como um dos objectivos para este ano era, precisamente, ler mais livros em inglês, achei que já estava na altura de começar. E este pareceu-me uma boa opção apesar de já ter visto o filme.

Recordações #29

Sou cada vez menos uma pessoa de telenovelas. Já pouco me sento em frente à televisão, não ando a par das telenovelas que dão actualmente e, se calha cruzar-me com algum episódio, alguma cena, não me cativam, não me prendem, não me dá vontade de ficar ali a ver aquilo, a seguir aquela história. Mas eu já fui muito de telenovelas. Brasileiras. As portuguesas nunca me cativaram tanto como as brasileiras. E de algumas até tenho saudades... Gostava mesmo muito! Deixo-vos aqui algumas das minhas favoritas de sempre.




A Indomada (1997)
[Provavelmente das primeiras telenovelas que segui. E as personagens interpretadas por estas duas senhoras ainda me estão na memória. E do Cadeirudo, quem não se lembra??]



Torre de Babel (1998)
 [Desta não me recordo tão bem, mas lembro-me de seguir e tenho ainda algumas imagens dos episódios finais na memória.]



Terra Nostra (1999/2000)
[Adorava o Matteo e a Giuliana!]

 

Laços de Família (2000/2001)  
[O que eu chorei com esta novela...]



O Clone (2001/2002)
[Adorava a roupa e a maquilhagem delas...!!]




O Beijo do Vampiro (2002/2003)
[Esta era num outro estilo, dava à tarde e eu achava o Zeca, o personagem principal, lindo...]




Mulheres Apaixonadas (2003)
[Umas das minhas favoritas entre as favoritas! Adorava o Claudio e a Edwiges.]



Celebridade (2003/2004)
[Outra que adorei!]




Kubanacan (2003/2004)
[Num estilo totalmente diferente das anteriores, esta tinha cenas verdadeiramente hilariantes!]



Senhora do Destino (2004)
[Outra que adorava. Ainda me recordo do tema de abertura.]



Páginas da Vida (2006) 
[Desta já não me recordava... mas na procura de imagens para este post cruzei-me com ela e não podia deixar de a incluir porque me lembro de gostar bastante na altura em que foi transmitida.]




Viver a Vida (2009/2010)
[Esta foi provavelmente a última que vi e já não segui tão rigorosamente, apesar de ter gostado bastante.]