22.2.17

Por aqui os últimos tempos têm-se resumido, de um modo geral, a navegar nos vários sites de emprego, ver os anúncios publicados e enviar CV. Um processo aparentemente simples mas que quem já passou por ele sabe que acarreta, muitas vezes, uma certa ansiedade e muitas (muitas!) dúvidas. Analisar criteriosamente as ofertas a que concorremos ou optar por tentar o maior número possível de candidaturas? Limitarmo-nos à nossa área, ao curso que nos levou anos e tanto trabalho e paciência ou começar a explorar outras oportunidades, coisas totalmente diferentes da nossa formação? Repetir candidaturas para uma dada empresa, mas para outra vaga e função, ou assumir que eles já têm o nosso CV e que também não mostra muito foco da nossa parte concorrer a vagas tão diferentes? Procurar um part-time ou mantermos a nossa disponibilidade imediata para o caso de surgir alguma oportunidade na nossa área? Candidaturas espontâneas: para onde e como fazê-las? O que escrever exactamente nas nossas cartas de motivação? (há mil e um modelos, mil e um exemplos, e "regras" totalmente diferentes por aí... quais as mais adequadas para nós e para as candidaturas em questão?) 

...

Dúvidas - umas mais parvas que outras - para as quais ainda não tenho resposta definitiva, já que vai variando um bocadinho de dia para dia, conforme a minha disposição, porque se há dias em que acreditamos que a nossa oportunidade vai chegar e que conseguimos ver e aproveitar o lado positivo de, até lá, não estarmos obrigados a uma rotina fixa, há outros em que a nossa sanidade mental começa a vacilar, e em que a ansiedade e a preocupação com o futuro a curto e médio prazo não nos deixam em paz.



Querem contar-me a vossa experiência do período em que estiveram à procura de trabalho? Querem dar-me dicas ou sugestões para esta fase? 

Sei que há mais meninas aqui dos blogs em situações semelhantes e acredito que a partilha de experiências pode ajudar um bocadinho nesta fase.

11 comentários:

Sónia Miranda disse...

Acho que o mais difícil enquanto se procura, é ir com espírito positivo, há sempre muita ansiedade.

S* disse...

Acima de tudo, tentar MESMO não desmoralizar e não ficar em casa parado. Caminhar, apanhar ar, fazer tudo para que a motivação permaneça!

Nada disse...

Antes de mais boa sorte!
É uma fase cansativa mas vais ver que compensa. O melhor conselho que te posso dar é sai de casa e faz da entrega de curriculos um trabalho, o ficarsó à frente do pc leva-nos à loucura. E não faças leituras super detalhadas de cada trabalho, envia o cv e pronto, será bom nem que seja para fazeres entrevistas e praticares, assim asseguraste que não falhas quando for A Entrevista =)

м♥ disse...

Se eu tivesse boas dicas para partilhar, não estaria desempregada ainda :p Mas o que eu faço é ter vários sites de emprego onde pesquiso as áreas que me interessam e ir procurando outras coisas espontaneamente. Inicialmente, mandei muitas candidaturas espontâneas para sítios onde gostaria de trabalhar, mas percebi que isso é perda de tempo, já que nem me responderam na maior parte das vezes.

Mando cv para tudo o que ache minimamente interessante e me veja a fazer. Já perdi a ilusão de trabalhar só na área. Se estiver à espera disso, vou ficar desempregada anos e anos. Tenho mandado para tudo o que me possa interessar fazer.

Uma coisa importante que aprendi é não pensar demasiado nas coisas. Procurar sempre, lutar sempre, não desistir! Mas não stressar também! Estou tranquila porque sei que estou a fazer tudo o que está ao meu alcance! Não podemos desesperar. A procura de emprego e envio de cv é parte integrante do dia, mas depois tento distrair-me e fazer outras coisas para desanuviar a cabeça, senão ficamos malucas! Saio, faço exercício, leio, namoro, vejo séries e filmes, escrevo no blog, faço as coisas de casa... Não podemos parar a nossa vida só porque não temos emprego. Devemos procurar sempre, mas pensar que é uma fase, alguma coisa vai aparecer e não vamos ser as únicas pessoas no mundo a não ter a sorte de encontrar algo.

(Dito isto num dia feliz e positivo, que bem sei como é difícil acreditar nestas coisas todas nos dias piores)

J* disse...

Desde que terminei o meu estágio para ingressar na ordem estive 3 meses em casa. Enviei currículos para todos que conhecia e não conhecia, uns mais perto, outros mais longe. Respondia a ofertas de emprego, mas como na minha área não era muitas, a maioria era espontâneo, até que alguém me respondeu, fui selecionada e é onde trabalho vai fazer 4 anos!
Se por acaso ficasse nessa situação mais algum tempo, passaria a enviar currículos para outras áreas, mesmo que não houvesse nenhuma vaga para concorrer. Eu sei que é muito difícil esta fase, mas não pode desistir!

https://jusajublog.blogspot.pt/

Jo disse...

Sónia Miranda, concordo... Por mais que tentemos contrariar a situação, a ansiedade é inevitável. Obrigado pelo teu comentário!

S*, um beijinho e obrigado pelo teu comentário/conselho :)

Nada, obrigado pela força e pelos teus conselhos. :)

M♥, acho que mesmo não tendo ainda encontrado um trabalho, temos sempre dicas para partilhar uns com os outros! :) Obrigado pelos teus conselhos e pela partilha da tua experiência. Sabes que tenho acompanhado o teu "percurso" e espero que encontres rapidamente alguma coisa que te realize. :)

J*, obrigado por partilhares a tua experiência e pela força! Fico feliz por teres encontrado rapidamente algo na tua área. :)

Sofia disse...

Para mim o pior era a espera e a incerteza. Em breve vou mudar de país (outra vez) e vou ter que passar por tudo isso outra vez, mas pronto, vou estar numa situação diferente. Tenho muito mais experiência e financeiramente não estou numa posição em que me preocupe muito não arranjar logo emprego. Além disso, não é a mesma coisa que procurar emprego em Portugal. Eu sei que é difícil, mas o mais importante é mesmo viver um dia de cada vez e tentar não sofrer demasiado com o que está para vir... boa sorte, espero que arranjes emprego rápido (;

Tim disse...

estive 3 anos em casa e o segredo é manter a calma

L. das horas disse...

A minha experiência diz-me que não vale a pena andar angustiada. Alguma coisa há-de aparecer, mais cedo ou mais tarde. Portanto, além de mandar cvs deves ocupar-te e fazer as coisas todas que gostavas de fazer (e não impliquem gastar muito, óbvio) e que sabes que depois não vais ter tempo para as fazer. Não vale a pena viver em stress. um beijo

Jo disse...

Sofia, obrigado pelas tuas palavras! Boa sorte para ti também :)

Tim, é isso! Obrigado :)

L. das horas, é o que tenho tentado fazer! Obrigado pelo incentivo :) Beijinhos

Akuma Kanji disse...

Não te querendo desanimar, ando à procura de trabalho há 10 anos e só me calha cócó. Estou desempregada outra vez mas conto dar uma volta à minha vida este ano! Mas o teu caso vai ser diferente, tudo vai correr bem ;)